QUIBE DE RICOTA COM CASTANHAS DO PARÁ E GARAM MASALA

Talvez seja muito quibe pra pouco post, eu sei... Este blog bebê tem ainda tão poucas receitas, e duas delas já são de quibes assados. Fiquei em dúvida, mas gosto tanto deste que achei que vale a pena a receita. Sem contar que a onda “Ásia Feelings” ainda não passou...


Continuo fissurada em Ásia, Oriente e afins. Aí vem um DVD do Comer, Rezar e Amar, uma coisa leva à outra... E é aí que entrou o garam masala nesta cozinha que eu tanto amo esta semana. Ele é um tempero indiano super aromático. Na verdade, é uma mistura de várias especiarias. O da Bombay leva coentro, pimento-do-reino, gengibre, canela, cardamomo, noz moscada, cravo, pimenta calabresa e casca de laranja.


Seu uso é característico no Chicken Tikka Masala, franguinho espertíssimo e que, por si só, já poderia valer a compra do seu garam masala (nota mental: bem pensado, faz tempo que não rola por aqui, logo logo faço e coloco a receita). Mas o garam é bem mais que isso, vai bem com muitas outras coisas (vegetais refogados, peixes, camarão e frutos do mar em geral, frango, sopas etc) e é fácil de usar sem errar, pois é pungente, mas não ardido demais. Por isso também coloco pimenta-do-reino neste quibe.


Na verdade, eu coloco pimenta-do-reino preta em tudo o que faço. Sal e pimenta, básico para tudo (como os franceses, que sabem das coisas da cozinha!). Não é para apimentar no sentido de deixar ardidão, tipo “ay, caramba! To no México??!”. É só para temperar. E tem que ser moída na hora, pois, SIM, faz TODA a diferença. Vai por mim! Uma pitada já muda o prato e ressalta o sabor.


Aiiiiinnn, a cozinha não é linda? Como pode vir tudo isso pronto da natureza, com esses perfumes que me fascinam, direto para a nossa mesa? Pimenta, hortelã, gengibre, canela, as raspas do limão... Sério, estou seriamente viciada apaixonada!


Uma dica ótima para quem tem dificuldade de encontrar algum tempero específico por perto é o site da Bombay, que é especializado em temperos e especiarias, e entrega em casa (bombayherbsspices.com.br). A qualidade é boa. Já usei e deu certo.


A base deste quibe aqui é bem parecida à do outro que já postei, de peixe (o da Rita Lobo). Na verdade, a ideia dele veio de lá, só mudei os “recheios”. Mas o sabor final fica bem diferente, afinal, este aqui é de ricota, aquele de peixe... enfim, nada a ver...


Ricota é uma coisa que não falta na minha geladeira. Versátil, aceita quase tudo o que você colocar nela. Doce, salgado, apimentado... Adoro esses alimentos que podem virar várias comidas diferentes conforme a inspiração do dia. Pois posso dar uma olhada na geladeira, na despensa, e pensar: então, o que vai ser hoje? Na hora.


Fica ótimo servido com a mesma saladinha de pepino com iogurte que já postei aqui.


Saudável e levíssimo, é perfeito para aqueles dias em que estou a fim de um almocinho ou jantar descomplicado, de prato único (ou quase, porque a saladinha aí de cima vai muito bem acompanhando). Mas com um tanto de tcha tcha tcha.



QUIBE DE RICOTA COM CASTANHAS DO PARÁ E GARAM MASALA


1 xícara de trigo para quibe

350g de ricota

2/3 xícara de castanhas do pará (ou nozes, ou amêndoas, ou pistaches, ou tudo isso junto)

1 cenoura média

1 colher (chá) de garam masala

1 colher (sopa) de uvas passas brancas

Raspas de 1 limão siciliano

½ xícara de água

1 cebola grande

3 colheres (sopa) de azeite de oliva mais o suficiente para caramelizar a cebola

Salsinha e hortelã frescos a gosto

Sal e pimenta-do-reino preta (moída na hora) a gosto


Pré-aqueça o forno a aproximadamente 200 graus.


Deixe o trigo para quibe de molho em água fria por 15 minutos. Escorra e torça bem dentro de um pano de prato limpo ou passe por uma peneira fininha apertando bem, até que todo o excesso de água tenha saído.


Corte as cebolas em metades, depois em meias-luas, para obter tiras finas e compridinhas. Numa frigideira grande, coloque 1,5 a 2 colheres de azeite (o suficiente para cobrir todo o fundo com uma camada fininha), as cebolas, uma pitada de sal e outra pitada de açúcar (mascavo é bem vindo, mas não obrigatório, qualquer açúcar ajudar a caramelizar com os componentes da própria cebola). Coloque em fogo baixo (o mais baixo que houver no fogão) e vá mexendo de vez em quando até as cebolas caramelizarem, ou seja, até que fiquem moles e escurinhas. Leva uns 15 minutos.


Amasse a ricota com um garfo. Pique as castanhas do pará grosseiramente com uma faca. Rale a cenoura no ralador grosso.


Numa tigela grande, misture o trigo de quibe, as cebolas já caramelizadas, metade da ricota e metade da cenoura, metade das castanhas e passas, as raspas de limão, o garam masala e a água. Tempere com sal, pimenta-do-reino, salsinha e hortelã a gosto (usei meio a meio a salsinha e a hortelã, só com hortelã também fica ótimo).


Misture bem o restante da ricota com o que restou da cenoura, castanhas e passas e tempere com 1 colher (sopa) de azeite, sal, pimenta-do-reino e hortelã e/ou salsinha a gosto.


Unte uma forma ou refratário com 1 colher de azeite, coloque a metade da mistura do quibe e aperte bem com uma colher molhada, alisando até obter uma camada uniforme. Coloque então, como um recheio, a mistura de ricota, cenoura, castanhas e passas por cima, como um recheio. Aperte bem. Finalize com o restante do quibe, apertando bem.


Regue com mais 1 colher de azeite.


Leve ao forno pré-aquecido por aproximadamente 30 minutos, ou até que esteja assado e levemente dourado.


Sirva com muito azeite e fatias de limão.


Comer, Rezar e Amar + Eddie Vedder = <3

#quibe #quibedericota #garammasala #castanhadopará #vegetariano #veggie

© 2014 por Abuela Juana. Orgulhosamente criado com Wix.com