FILÉ MIGNON SUÍNO ASSADO E BATATAS RÚSTICAS


Carne assada é uma constante aqui em casa. Nada mal deixar o forno fazendo todo o trabalho de vez em quando, sem contar o cheiro bom que vai se espalhando pela casa afora, atraindo as pessoas e deixando o seu humor mais alegre. "Pessoas que romantizam comida", oi? sim, essa sou eu!


Segundo o Michael Pollan, no (ótimo!!!) livro Cozinhar, assar carne foi a primeira forma de cozinhar praticada pelos humanos primitivos, muitos milhares de anos antes de alguém pensar em fazer uma panela, quando só havia à disposição uma fogueira ao ar livre e as caças da tribo (inteiras, pois o que não fosse assado do animal não teria como ser armazenado e estragaria mais rápido, e desperdiçar comida realmente não era uma opção).


E isso nos permitiu dar um bom pulo na escala evolutiva, já que a grande energia metabólica que antes era direcionada a mastigar e digerir alimentos crus (algo muito importante de se economizar num período de comida e, portanto, calorias escassas), agora poderia ser utilizada para um fim mais interessante: o maior desenvolvimento do nosso cérebro.


Adeus maxilares gigantes! Olá crânio alongado para trás (com um bom cérebro dentro) e sistema digestivo mais simples e mais eficiente, que não mais demandava toda a escassa energia corporal dos homens das cavernas. E, um tempo depois, violà! Homo sapiens na área.


Não é interessante!!?


Pois sabe que, para mim, essa teoria da evolução faz total sentido! Dá super para entender que a Humanidade tenha inaugurado sua era de domínio sobre as outras espécies no planeta com uma festinha ritualística para reverenciar a caça e um belo de um churrascão!! Não?


Mas voltando ao meu porquinho, filé mignon suíno é uma carne que, além de saudável, assa super bem, pois é bem suculenta, e relativamente rápido, já que não se trata de um pedaço muito grande.


Só o que não dá para fazer é pensar de última hora e já preparar, porque é necessário deixar a carne numa marinada por pelo menos 12 horas (mas o bom mesmo é um dia inteiro), para que o tempero pegue bem.


Eu costumo preparar minhas marinadas a olho mesmo, dependendo do que tenho disponível no dia, mas basicamente é sempre: sal, pimenta-do-reino, limão, alho, ervas frescas ou secas, vinho branco ou tinto e, às vezes, o suco de alguma fruta (para carne de porco ou frango, já usei suco de laranja, de maçã, manga, cramberry, de abacaxi e de maracujá - um de cada vez!; para carne bovina me atenho ao suco de laranja, e só quando combina com a receita).


Aí basta deixar a carne descansando ali na marinada, tampada, dentro da geladeira, virando de vez em quando, por um dia.


Para assar, a marinada não é desperdiçada. Dá para usar uma forma própria que tem uma gradinha dentro acoplada, onde fica a carne, suspensa, e, no fundo da assadeira, você pode jogar a marinada, completando com mais um pouco de água. Isso vai fazer com que ela vá evaporando e hidratando a carne, ao mesmo tempo que a gordura da carne vai pingando na marinada, enriquecendo-a e mantendo a carne suculenta.


Mas também dá para usar a mesma técnica sem essa assadeira própria, colocando a carne diretamente na grade do forno e, na grade de baixo (o mais próximo possível da carne), uma assadeira com a marinada.


Depois de assada a carne, é recomendável deixá-la descansar por uns 5 a 10 minutos antes de cortar (cubra com papel alumínio) pois, de alguma maneira que não sei explicar, ajuda a mantê-la suculenta.


Você pode também fazer um molho com a marinada, levando-a ao fogo depois de assada e mexendo, deixando reduzir. A minha, desta vez, foi impossível, porque quando percebi estava quase que toda evaporada. :)


Usei como acompanhamento a rainha dos acompanhamentos de carne assada: batatas rústicas. Sabe aquela receita clássica da casa, que eu nunca me canso? É essa! E fica pronta no mesmo tempo do assado, vai tudo junto para o forno.


Tudo muito, muito bom! Nham! Se arrisque a fazer o jantar, coloque tudo no forno, abra um vinho, coloque uma música boa e enjoy! Eu prometo que vai valer a pena! ;)


Fiz exatamente assim, receita para duas pessoas. Para uma mesa mais cheia (é ótima opção para receber visitas, pois o forno faz tudo e você pode curtir a companhia), multiplique as quantidades e asse uns cinco a dez minutos a mais.



FILÉ MIGNON SUÍNO ASSADO


600 gramas de filé mignon suíno em um único pedaço

1 xícara de vinho tinto seco (ou branco)

suco de 1 limão

1/2 xícara de suco de manga bem concentrado (ou de outra fruta, há sugestões no post)

2 dentes de alho grandes cortados ao meio

1 colher (sopa) de azeite

7 galhinhos de tomilho fresco, só as folhas

1 colher (chá) de orégano seco

alguns ramos de salsinha, inclusive os talos, e 3 cebolinhas, tudo inteiro

1 folha de louro

sal e pimenta-do-reino moída na hora (sim, faz diferença)


Coloque a carne num recipiente suficiente para acomodá-la por inteiro, sem dobrar.


Tempere-a fazendo a marinada com o restante dos ingredientes, tampe (pode ser com um filme plástico se o recipiente não tiver tampa) e leve à geladeira um dia antes do preparo. Vire a carne, trocando sua posição, de tempos em tempos, quando lembrar.


Retire a carne da geladeira pelo menos meia hora antes de assar, para que ela tenha tempo de ficar à temperatura ambiente ou quase.


Pré-aqueça o forno a 200 graus (quando coloco as batatas junto no forno, uso na temperatura de 210 graus).


Sele a carne numa frigideira antiaderente bem quente, com um fio de azeite, por aproximadamente 2 a 3 minutos de cada lado (inclusive nas laterais), ou até que tenha se formado uma crostinha bem dourada amarronzada de todos os lados.


Leve ao forno coberta com papel alumínio por cima e, em baixo dela, disponha a marinada com mais um ou dois copos de água, dependendo do tamanho da forma - faça isso usando a assadeira própria que mencionei no post, que tem uma gradinha suspensa dentro, ficando a marinada no fundo; ou colocando a carne diretamente na grade bem limpa do fogão, e uma assadeira na grade de baixo (mais perto possível da carne) com a marinada: os dois modos são igualmente eficientes, mas o segundo dá um trabalhinho a mais para limpar a grade do fogão depois.


Asse por aproximadamente 30 minutos e, após, retire o papel alumínio e deixe por mais 15 a 20 minutos (depende do forno), até que esteja completamente assada. Como saber? Observando o aspecto da carne e conhecendo o seu forno. Mas se quer ter certeza mesmo, antes de cortar (a carne de porco sempre deve ser bem passada e não estar rosada no centro) e também não correr o risco de passar do ponto, só com um termômetro, daqueles tipo espetinho para medir a temperatura interna. Quando ela estiver, bem no centro da parte mais grossa, a 77º C, estará bem passada. Comprei um termômetro recentemente e, apesar de não ser essencial, ajuda, pois eu sempre passava a carne de porco do ponto, pois batia o pânico do porco cru...


Retire do forno e volte a cobrir com papel alumínio, deixando descansar por 5 a 10 minutos antes de cortar e servir. Para se certificar de que a carne está realmente bem passada, não pode haver ainda pedaços rosados no centro).


Se quiser um molho, leve a marinada a uma panela e mexa até reduzir. Se quiser engrossar mais, use 1/2 colher de sopa de farinha de trigo ou maisena (dissolvidas antes em um pouco de água fria), mexendo até engrossar.


Serve 2 pessoas.


BATATAS RÚSTICAS

3 batatas grandes

flor de sal ou sal grosso

pimenta-do-reino moída na hora

2 ramos grandes de alecrim

8 ramos pequenos de tomilho

azeite

Lave bem as batatas com uma escovinha. Com a casca, corte-as em quartos, longitudinalmente.

Cozinhe em água e sal só até começarem a amolecer, aproximadamente 7 minutos.


Forre uma assadeira suficiente para acomodar as batatas, em uma única camada, com papel alumínio.


Escorra bem as batatas e disponha-as na assadeira, regue com azeite em quantidade considerável, suficiente para fazer uma camadinha fina em todas (e por inteiro) e tempere com o sal, pimenta, alecrim e tomilho.


Chacoalhe a assadeira para que tudo se misture bem e o tempero envolva as batatas por inteiro e para que as ervas fiquem totalmente cobertas pelo azeite, para que não queimem no forno.


Leve ao forno a 200 graus (se for ao forno com alguma outra coisa, como o assado acima, coloque a 210 graus), por aproximadamente 30 a 40 minutos ou até que estejam bem douradas e assadas. Se tiver um grill no forno, use-o nos últimos cinco minutos, a uma temperatura elevada, para potencializar a crostinha dourada.


Serve 2 pessoas.


I predict a riot!!!!!!



#assado #filémignonsuíno #porco #marinada #batatasrústicas

© 2014 por Abuela Juana. Orgulhosamente criado com Wix.com